terça-feira, 5 de julho de 2011

A Bíblia e a Família: duas meditações oportunas:



  “Filho meu, ouve a instrução de teu pai, e não deixes o ensinamento de tua mãe. Porque serão como diadema gracioso na tua cabeça e colares ao teu pescoço”

Provérbios 1:8-9

     Pai, instrua o seu filho. Filho, ouça a instrução do seu pai!
     Pode um filho ser feliz e encontrar a prosperidade vivendo em desarmonia com os pais? Certamente que não. A felicidade de qualquer um tem como premissa a boa educação e o relacionamento harmonioso junto aos seus pais e à família.
    Um lar onde pais e filhos não se entendem as paredes tremem. É um lar frio pela ausência de calor humano e escuro pelas trevas do desentendimento. E ainda pior. Ao haver brigas e desapreço, Deus se entristece e uma névoa de infelicidade cobre aquela morada.
     Qualquer lar para ser forte, inabalável, tem de estar unido pelo respeito e ungido pelo amor.
     O filho deve receber, qual um dedicado aluno, as lições ministradas por seu pai e sua mãe. São lições de vida e cidadania, pois a melhor escola de um filho são os ensinamentos dos seus pais.
   As pessoas que têm uma luz especial, que vivem a sorrir, a irradiar paz e felicidade e subir os patamares da vida com troféus de vitórias, são, inconfundivelmente, aquelas que têm amor por Deus e amor por seus pais eternizados no coração!

>>

     “Eis que chega a hora, e já se aproxima, em que vós sereis dispersos cada um para sua parte, e me deixareis só; mas não estou só, porque o Pai está comigo.”
João 16:32

     Haverá de chegar um momento, na vida de todos os pais, quando verão seus filhos deixarem o lar paterno para congregarem-se a outras famílias. A casa, onde junto aos pais era festa, de repente será silêncio. Dispersos, cada um para um lado, os filhos deixarão pai e mãe.
     Mas, por mais que fiquemos sós, Deus sempre está conosco!
     Tenha você também esta certeza da proximidade de Deus e construa uma ponte sobre o silêncio e a solidão. Para isso, peça ao Criador:
     Em cada palavra de amor que eu disser, duas flores desabrochem no jardim da paz;
    em cada tufão de dificuldade que soprar, erga-se o muro inquebrantável da esperança;
   em cada atalho que eu tomar, rumo ao meu destino, que Sua luz ilumine meus passos e Sua mão desvie as setas do perigo;
   em cada lágrima de dor que verter dos meus olhos, mil lampejos de alegria reflitam da minha boca;
     e, Senhor, em cada sonho que eu tiver, revela-me a maravilha do Seu Reino. E se eu for merecedor, desperta-me para alcançá-lo e comigo esteja, hoje e por todo o sempre.
    Amém!

     Inácio Dantas
    
    Temas relacionados (Amor e paixão):

    Temas complementares (Não basta ser pai...):

Nenhum comentário:

Postar um comentário